Bebê comendo papinha - Tira-dúvidas sobre papinhas Bebê Bem-Querer
Papinha para bebê: tira-dúvidas com a nutricionista

A hora da papinha é um momento muito importante para o bebê. Quando começa a comer outros alimentos além do leite materno, ele descobre novos sabores, texturas, cheiros, consistências e aprende a mastigar, desenvolvendo, assim, a fala. Essa importante experiência não é tão fácil para a criança, motivo pelo qual, inicialmente, ela tende a rejeitar as primeiras ofertas de alimentos, pois tudo é novo.

Sendo assim, essa transição deve ser lenta. É preciso ser paciente e perseverante nesse momento. Por consequência dessa recusa, manter a amamentação é fundamental para suprir as calorias totais da dieta do bebê e, assim que ele for se habituando com a nova alimentação, uma diminuição da amamentação poderá acontecer, sem danos à saúde do bebê.

Nutricionista Raabe Sucupira

Selecionamos algumas dúvidas que as mamães que seguem a Bebê Bem-Querer nos enviaram sobre papinhas e convidamos a nutricionista infantil Raabe Sucupira para responder.

Confira a seguir o tira-dúvidas:

O que é papinha?

Alimento de consistência cremosa é qualquer alimento que está mole ou desfeito.

Quando introduzir papinha?

A alimentação do bebê deve ser introduzida aos seis meses de vida, pois é quando o bebê terá maturidade fisiológica o suficiente para receber os alimentos. No entanto temos que levar em consideração se o seu bebê já apresenta alguns sinais de prontidão, que são:

Sentar com o mínimo de apoio: O bebê precisa ter controle do seu tronco, imagina só você comer deitado ou caindo pro lado? Nada confortável né verdade!

Protrusão da língua diminuída: O bebê tem um reflexo inato que faz com que a língua empurre para fora da boca tudo o que for de consistência diferente da do leite materno. Esse reflexo é chamado de “reflexo de protrusão da língua” e tende a desaparecer próximo aos seis meses.

Levar objetos a boca: Esse é essencial para a autonomia do bebê. Ter interesse pela comida do adulto: Se o bebê já observa as pessoas comendo e demonstra curiosidade é um bom sinal. Ele precisa querer explorar e conhecer os alimentos. Deixe que o bebê esteja junto durante as refeições para ajudar nesse processo.

Como fazer a papinha?

É preciso lavar muito bem os alimentos toda vez que você for preparar a papinha para o seu filho. Por isso, preste muita atenção ao lavá-los, para certificar-se de que estão bons para o consumo do bebê. Se você incluir carne na papinha, preocupe-se com o cozimento adequado, nada de carne com o meio vermelho para a papinha.

A papinha deve ser feita da forma mais natural possível, cozinhar os alimentos no vapor, na água, refogar com temperos naturais como cebola, alho, coentro, cebolinha e etc. Depois de prontos dever ser AMASSADO COM O GARFO! Quando batemos no liquidador ou até mesmo passamos a papinha na peneira, tiramos a textura real do alimento, dificultando assim a experiência do bebê com os alimentos, além que ao peneirar, retiramos as fibras e muitos nutrientes. A papinha liquidificada passa a ter um sabor único e uma única cor sem distinção dos alimentos, por isso amassar sempre com o garfo!

Quanto de papinha o bebê deve comer?

*Estes são valores de referência, cada bebê tem sua individualidade!

Pode congelar papinha?

O congelamento é uma ótima opção para conservação dos alimentos, e também otimizar o tempo da mamãe em preparar sempre refeições, e é super válido para a comidinha do bebê, pois as perdas de nutrientes são mínimas. A papinha pode ser congelada por até 90 dias!

Na hora de descongelar, não deixe a papinha em temperatura ambiente, porque isso aumenta a chance de contaminação por bactérias. Tirar do freezer e leve para a geladeira espere descongelar e assim esquente, em casos mais rápido, caso a mamãe tenha esquecido de tirar horas antes do congelador a papinha deve ir direto ao microondas é uma dica prática e segura.

(Des) congelar?

Nada de descongelar uma papinha e querer congelar de novo. Uma vez que você tirou a comida do freezer e esquentou, não congele de novo. As bactérias são mais atraídas de acordo com a temperatura, o que torna essa oscilação perigosa. Para resolver isso, a dica é separar tudo em potes pequenos, de acordo com a quantidade que o seu filho vai comer em cada refeição.

Onde armazenar a papinha?

Na geladeira! SEMPRE! Os melhores potes são os de plástico. Os potes de vidro não são tão indicados, porque com o resfriamento ele pode expandir e explodir. Ao optar pelos potes de plástico, veja se o produto não possui “Bisfenol A”, ou “BPA”, em sua composição, já que esse composto pode causar danos ao sistema endócrino e reprodutor da criança, compre produtos de alta qualidade. Além disso, garanta que o pote seja bem vedado, para a papinha não entrar em contato com outro tipo de alimento, o que pode contaminá-la.

Quanto tempo deixar a papinha na geladeira?

Papinha de fruta, carnes ou de legumes: poderá ser armazenada durante dois dias na geladeira.

Quais papinhas podem ser congeladas?

As papinhas podem ser congeladas, desde que não contenham maionese, ovos ou claras cozidas, gemas, vegetais crus, iogurte, folhas de verduras e de frutas, além de banana. E nada de colocar no freezer o que sobrou do pratinho do bebê.

hora da papinha

Oferecer primeiro papinha doce ou salgada?

Primeiro oferecer papinha doce para o bebê, que são papinhas de frutas e é de mais fácil aceitação já que temos sempre a gostar de alimentos mais doces em seguida oferecer papinha salgada.

Papinhas que auxiliam no intestino:

Algumas opções de papinhas que auxiliam o intestino do seu bebê:

  1. Papinha de Pera e Ameixa
  2. Papinha de Mamão com Laranja
  3. Papinha de Quinoa, com brócolis, cenoura e caldo de frango.
  4. Papinha de Maçã e Ameixa
  5. Papinha de Abacate com Banana nanica
  6. Papinha de abobora, com espinafre e carne.
  7. Papinha de Carne, vagem, alface e arroz integral.
  8. Papinha de Aveia
  9. Papinha de carne, cenoura e ervilha.
  10. Papinha de frango, espinafre e cenoura

Se você gostou desse artigo tira-dúvidas sobre papinhas, compartilhe. Caso também possua mais dúvidas relacionadas ao tema, deixe seu comentário que responderemos o quanto antes. Não deixe de acompanhar a Bebê Bem-Querer nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *